Conheça as novidades do mercado óptico e mantenha-se atualizado - Blog - Arquem Automação

Fique por dentro de nossas novidades



Fique por dentro das novidades da Arquem e do setor.

Receba dicas e notícias no seu e-mail.



Clique aqui

Conheça as novidades do mercado óptico e mantenha-se atualizado
Blog

Conheça as novidades do mercado óptico e mantenha-se atualizado

Postado por Arquem às 22/02/2018


As novidades do mercado ótico não param, e manter-se atualizado é um enorme desafio para qualquer gestor! Pensando em te ajudar nesse processo, no post de hoje, reunimos todas as informações que você precisa saber sobre o setor.

Vamos falar sobre os novos hábitos do consumidor, os modelos de óculos mais vendidos na atualidade, a utilização da internet no processo de venda, a importação de produtos e a importância de um software de gestão para óticas.

Ficou interessado? Então continue a leitura!

Conheça os novos hábitos do consumidor do mercado ótico

Você sabe qual é o perfil dos clientes brasileiros do mercado ótico? Não? Bom, essa é a informação básica para quem deseja se comunicar de forma assertiva com esse público. Afinal, o segredo para uma atuação com excelência nesse mercado tão competitivo é conhecimento sobre o público e sobre as inovações para óticas.

Pensando nisso, preparamos uma lista detalhada desses fatores, com base nas informações de um estudo realizado pela Associação Brasileira da Indústria Ótica (um importante órgão do setor que, inclusive, realizará a Expo Abiótica em abril deste ano, em que será possível conferir outras novidades desse mercado). Vamos conferir?

1. O mercado e os hábitos de consumo

Em 2018, no Brasil, segundo esse estudo, os óculos de sol é que continuarão no topo dos itens óticos mais procurados pelos clientes de óticas. Se compararmos o consumo por região do país, teremos: Norte, 3,6%; Centro-Oeste, 6,6%; Nordeste, 17,7%; Sul, 15,4%; e Sudeste, com 56,7%.

2. A classe

Segundo a Abiótica, nos últimos anos, a classe social que mais consome produtos óticos no país é a B, que, sozinha, é responsável por 50% de todo o consumo. Em seguida, vêm a classe C, responsável por cerca de 37%, a classe A, 10,9% do consumo , e a D e a E, com 2,1% somadas. Os dados revelaram ainda que o público mais promissor para o mercado é a chamada nova classe média e que a média de gasto desse público é de R$ 348 em óculos de sol e de R$ 296 em óculos de grau.

3. O perfil do consumidor

Outra informação importante sobre esse público que vem crescendo é que ele não se comporta apenas como consumidor, ele também tende a construir uma relação de confiança com a ótica. Isso significa que o relacionamento com o cliente tende a ser duradouro.

A importância dessa informação é inigualável, pois esse relacionamento prolongado aumenta o potencial de compra do cliente (da juventude à fase adulta, sempre que precisar de algo, ele tenderá a procurar o mesmo estabelecimento).

Em relação ao canal de preferência para a compra de óculos, com certeza, os novos hábitos vieram para ficar. Atualmente, o consumidor:

  • tende a optar por redes de óticas conhecidas;

  • prefere comprar lentes de contato em clínicas;

  • se interessa, cada vez mais, por fazer compras pela internet.

Esse comportamento de aceitação crescente com e-commerce será mais detalhado no próximo tópico.

4. O e-commerce

Essa talvez seja a mudança mais relevante no comportamento do consumidor de produtos óticos: a modalidade da compra. Constatou-se que a maior parte das compras, cerca de 82%, ainda é feita em lojas físicas, mas 18% dessa atividade já é realizada por meio do comércio eletrônico.

As últimas pesquisas mostravam que apenas 6% das óticas do país tinham um sistema de vendas online, mas, se o e-commerce vem atraindo consumidores, com certeza, vai chamar a atenção de mais empreendedores em pouco tempo. O estudo mostrou que os consumidores que não mudaram seus hábitos para o consumo online declararam:

  • achar que é necessário sentir ou tocar o produto;

  • não ter confiança em fornecer dados bancários pela internet;

  • ter receio de não receber a mercadoria.

Em última análise, os números reforçam que, dentre os novos hábitos do consumidor, está o desejo de se tornar um consumidor online, porém, as óticas precisam investir em ter sites confiáveis e mostrar ao seu consumidor isso.

Acompanhe os 5 modelos de óculos mais vendidos atualmente

Para manter um bom funcionamento, é preciso estar atento às tendências e novidades do mercado ótico. A boa notícia é que 2018 está só começando e já é possível saber quais são as tendências de óculos para este ano.

Pensando em te ajudar nessa empreitada, reunimos neste tópico os modelos de óculos mais vendidos atualmente e que devem nortear as escolhas dos seus clientes nos próximos meses.

Óculos femininos

1. Redondos com cores metalizadas

Até o finzinho de março, por conta do calor, as roupas escolhidas serão confortáveis e despojadas. Para complementar esse look, que deve ter um toque hippie, a linha perfeita de óculos é a com lentes redondas. Além disso, outra tendência forte em 2018 são as armações com cores metalizadas. Ou seja, vale a pena investir em ter variações desses modelos disponíveis em sua ótica.

2. Vintage

Sem dúvida, o modelo gatinho é uma escolha certa para ter no estoque da sua ótica em 2018, pois ele reflete um dos modelos vintage mais clássicos. Neste ano, ele volta repaginado e com mais estilo, armações mais trabalhadas e laterais mais angulosas e pode ter ou não lentes espelhadas.

3. Armações em transparência

Esse estilo tem figurado entre diversas celebridades nos últimos meses. Os óculos são coloridos e têm lentes ou armações em transparência. Como um dos aspectos das sazonalidades do mercado ótico está ligado ao uso de alguns modelos por celebridades, vale a pena estar atento à possibilidade de essa demanda surgir.

Óculos masculinos

4. Aviador

O estilo militar estará em alta durante todo o ano de 2018, e, sem dúvida, o modelo aviador será a aposta masculina. Alguns especialistas chegam a dizer que vale a pena investir em ter qualquer modelo no estilo militar no estoque.

5. Flat

Outro modelo para se ter em sua ótica é o flat. Muito estiloso com ângulos e linhas muito bem definidos, lentes planas com a parte superior reta, o modelo tem atraído a atenção dos homens neste início de 2018.

Perceba que esses são apenas alguns dos modelos mais vendidos e que eles deixam claro que é importante manter um estoque bem variado. Segundo alguns fashionistas, a regra de 2018 parece ser não ter regra. Assim, a palavra de ordem para as óticas deve ser: variedade.

Saiba como utilizar a internet e as redes sociais nos processos de venda

Atualmente, felizmente, a internet deu às pequenas empresas uma oportunidade de expandir sua abrangência e aumentar o volume de vendas com milhares de caminhos e estratégias diferentes.

É correto dizer que talvez não haja uma ferramenta de vendas mais democrática e poderosa na internet do que as redes sociais. Acreditamos que, quando usados corretamente por empresas e marcas, sites como Facebook, Snapchat, Twitter, LinkedIn e Pinterest podem se tornar ferramentas de vendas eficazes e lucrativas.

Os usos das redes sociais para vendas

As redes sociais são serviços de internet que permitem interagir com outras pessoas, compartilhar e criar conteúdo por meio de comunidades online. Elas apresentam grandes oportunidades de vendas para empresas de todos os tipos. No caso das óticas, elas podem ser usadas para:

  • promover o nome da sua óticas e as marcas que sua loja comercializa;

  • anunciar para os clientes sobre seus novos produtos e sobre as tendências do mercado;

  • conversar com seus clientes e descobrir como eles avaliam sua ótica;

  • atrair novos clientes e realizar promoções;

  • disponibilizar aplicativos para que os clientes simulem como ficariam usando seus produtos;

  • fidelizar clientes existentes mantendo-os atualizados sobre seus produtos e serviços.

As vantagens de usar redes sociais

De acordo com o relatório da Nielson sobre as redes sociais, as pessoas têm passado mais tempo nos sites de redes sociais e cerca de 70% dos que têm perfis nessas redes fazem compras online.

Em outras palavras, os clientes para sua ótica estão online, em redes sociais e à sua espera. Além desse amplo alcance que pode ser facilmente confirmado por pesquisas, separamos outras vantagens do marketing de redes sociais. Confira:

  • capacidade de segmentar grupos específicos — muitos sites de redes sociais (como o Facebook, o Twitter e o Instagram) permitem que as empresas segmentem seus grupos de interesse;

  • publicidade a baixo custo — em muitas das redes sociais, é gratuito ter perfis de negócios, e as opções pagas são geralmente de baixo custo;

  • capacidade de comunicação amplificada — as mídias sociais permitem que você se comunique de forma pessoal com clientes e grupos;

  • contato rápido — você pode distribuir rapidamente as informações que deseja para um grande número de pessoas;

  • fácil acesso — você não precisa de habilidades de alto nível ou equipamentos de informática para participar de redes sociais. Uma pessoa comum com um computador padrão, um smartphone, um tablet etc. não deve ter dificuldades de acessar e, a partir daí, interagir com sua empresa.

Os serviços de redes sociais

Diferentes redes sociais são boas para diferentes atividades de marketing. Separamos algumas com suas respectivas funcionalidades para você escolher a que melhor se adéque aos seus interesses:

  • Facebook — um site de rede social que permite conversas com clientes, compartilhamento de fotos, vídeos e promoção de ofertas especiais;

  • Twitter — um serviço que permite enviar e receber mensagens curtas de clientes e potenciais clientes. Também suporta imagens e vídeos para publicidade;

  • YouTube — um serviço de hospedagem de vídeo online que permite que as pessoas compartilhem seus conteúdos. Ideal para tutorias sobre uso, manutenção etc. de produtos óticos;

  • blogs — sites de internet que contêm uma série de “postagens" com conteúdo textual, imagético ou sonoro. Normalmente, esse espaço tem uma temática e, no conteúdo, há hiperlinks que levam o leitor até a página de vendas da empresa ou diretamente aos produtos relacionados ao tema em questão;

  • sites baseados em localização — sites que fornecem mensagens de marketing direcionadas a clientes em locais específicos, por meio de dispositivos móveis, como smartphones e tablets.

Os três passos para manter suas redes sociais como ferramentas de vendas

Com todas as diferenças de plataformas, seria imprudente assumir que todas as empresas podem prosperar com as mesmas estratégias, mas muitas podem encontrar sucesso aplicando as dicas a seguir e ajustando-as para atender às suas campanhas.

1. Crie perfis

Normalmente, quando clientes estão interessados ​​em saber mais sobre sua ótica e o que você tem a oferecer, a primeira coisa que eles farão é digitar seu nome no Google. Se sua loja já tiver um perfil em uma rede social, possivelmente, ele será exibido em um dos primeiros resultados de pesquisa.

Sites como Facebook e Instagram são familiares para as pessoas, logo, elas são mais propensas a clicar em seu perfil nesses sites. Então, tendo isso em mente, você deve incorporar links para seu site e páginas de vendas em suas postagens e manter suas informações de contato atualizadas.

2. Mantenha os perfis ativos atualizados

Enquanto você está revisando seu perfil do Facebook, também é uma boa ideia voltar sua atenção para seus perfis em outras redes, como o Twitter e o LinkedIn. Embora estes nem sempre atraiam tanto tráfego, eles também aparecerão nos resultados de pesquisa.

Um perfil mal desenvolvido na internet vai afastar os usuários, enquanto um bem estruturado os empurrará para as próximas fases do funil de vendas.

3. Impulsione o tráfego para as páginas de destino

Algumas empresas têm grande sucesso com o tráfego que direciona os clientes das redes sociais para as páginas principais e, em seguida, para uma lista de produtos. No entanto, a grande maioria dos usuários sociais não está interessada em clicar em várias páginas para fazer uma compra. É por isso que você deve considerar vender diretamente de suas páginas ou encurtar o caminho até a página de vendas.

Em última análise, sua ótica precisa obter as vendas da maneira que puder. Embora as mídias sociais tenham muitos usos potenciais (incluindo a criação de marca e o serviço ao cliente), para que elas funcionem como canal de vendas, é preciso estar constantemente aprimorando suas estratégias globais de vendas.

Entenda como ocorre a importação de produtos nas óticas

Umas das novidades do mercado ótico brasileiro é a internacionalização das empresas. Segundo o CDL, isso tem acontecido porque uma boa parte dos empreendimentos desse setor dispõe de um canal para vendas para outros países, com condições vantajosas.

O outro lado dessa moeda é que há uma crescente abertura para importação de produtos nas óticas. Esse movimento tem se consolidado, pois, muitas vezes, o preço praticado fora do país é bem mais baixo que o interno, e isso acaba sendo a forma de fugir do custo que prejudica a margem de lucro dos gestores. Você está interessado em seguir por esse caminho? Confira os passos a seguir.

Passos para sua empresa importar produtos

A importação de produtos acima de US$ 3 mil, por empresas, tem regras específicas e segue uma série de passos que veremos agora.

Passo 1: Ter uma situação legalizada

O primeiro passo para importar (ou exportar) bens é certificar-se de que sua empresa está legalizada e tem as condições necessárias para realizar a transação. Isto é, ter um CNPJ em situação regular com o objeto social “atividade de importação e exportação” incluído.

Passo 2: Estar habilitado no Siscomex (RADAR)

Sistema Integrado de Comércio Exterior (Siscomex) é um sistema governamental informatizado que controla o comércio exterior brasileiro. Para efetuar essa habilitação é necessário comparecer à Receita Federal.

Passo 3: Procurar por fornecedores estrangeiros

Para quem está começando, é preciso ter alguns cuidados em relação aos fornecedores, tais como:

  • buscar referências sobre os fornecedores;

  • atentar para a segurança nas formas de pagamento;

  • procurar informações sobre a qualidade do processo de produção do fornecedor;

  • certificar-se da capacidade de produção do fornecedor;

  • entender as formas de frete adotadas pelo fornecedor;

  • manter-se informado sobre os impostos.

Passo 4: Entrar com pedido de cotação e definição da Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM)

Para tanto, é preciso solicitar junto aos fornecedores escolhidos a cotação do produto e as informações sobre pedido mínimo.

Passo 5: Elaborar planilha de custos

A planilha de custos permite ao gestor verificar a viabilidade da transação. Isto é, se a importação realmente compensa. O preço final para o mercado interno será obtido acrescentando-se ao preço do produto, antes do embarque, os seguintes custos:

  • Seguro de Transporte Internacional;

  • frete internacional;

  • Imposto sobre Produtos Industrializados;

  • Imposto de Importação;

  • Cofins;

  • PIS/Pasep;

  • taxas portuárias;

  • taxas de armazenagem;

  • despesas bancárias;

  • ICMS;

  • Frete Interno;

  • despachante aduaneiro.

Passo 6: Negociar com o fornecedor e Incoterms

O importador deve solicitar ao exportador estrangeiro a remessa de um documento que formaliza:

  • os deveres e obrigações de ambas as partes (Incoterms);

  • a modalidade de pagamento;

  • o prazo de entrega da mercadoria.

Vale lembrar que, a qualquer época, a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) pode solicitar essas informações ao importador. Então, é necessário estar preparado.

Passo 7: Obtenção do licenciamento de Importação (LI)

Para importar óculos de sol, é preciso ter Licenciamento de Importação; já para importar óculos de grau, antidumping, ou seja, uma sobretaxa a ser paga calculada pelo quilo da carga. A LI deve ser emitida sob a anuência dos órgãos brasileiros competentes.

Passo 8: Ter os documentos que permitem a liberação da mercadoria

O exportador deve, de acordo com a modalidade de pagamento acordada, ter em mãos os documentos que permitem ao importador liberar os produtos na alfândega. São:

  • fatura comercial;

  • conhecimento de embarque;

  • certificado de origem;

  • certificado fitossanitário (quando for o caso).

Veja como um software de gestão pode fazer a diferença no seu negócio

Gerenciar uma ótica de qualquer porte consiste basicamente em tomar decisões. Nesses empreendimentos, o número de informações que se tem que filtrar é imenso, e isso cresce de acordo com o porte.

Em um ramo tão competitivo como esse, o diferencial é conseguir uma boa observação dos gráficos e números dos períodos anteriores de forma precisa e rápida. Por isso, ter um software de gestão pode ser a solução necessária.

Com esse tipo de tecnologia, estoque, comercial, financeiro, faturamento, produção, compras, e outros departamentos tornam-se conectados instantaneamente, bem como as informações desses setores.

A ideia é atrativa, certo? Para quem quer manter-se atualizado, além das informações que já detalhamos nos tópicos anteriores, essa ferramenta é o caminho. Confira suas vantagens:

1. Facilidade no planejamento

O benefício mais importante de um software de gestão é, sem dúvida, este: conseguir ver, interpretar e relacionar os indicadores de desempenho. Esses indicadores nos ajudam a tomar decisões mais precisas em nosso empreendimento.

Além disso, essa facilidade de acesso ao planejamento permite a correção de erros bem rapidamente, antes que eles se tornem graves ou irreversíveis. Ou seja, essa ferramenta também permite a observação, em tempo real, da evolução do negócio.

2. Otimização dos recursos humanos

Um dos grandes custos de um empreendimento são os colaboradores, ou seja, o recurso humano. Não utilizar todo o potencial de cada uma dessas pessoas é um problema comum que gera ônus real para o empreendimento, e um software de gestão pode diminuir sensivelmente esse problema.

Além disso, essa ferramenta permite o acesso rápido e centralizado às informações da empresa, ao histórico de clientes e a prazos, pedidos e valores de compras, tornando cada colaborador mais eficiente e produtivo. Enfim, o um software de gestão é uma ferramenta que pode potencializar as habilidades dos funcionários da ótica.

3. Ganho de tempo

Aqui, na verdade, estamos falando que um software de gestão funciona também para mostrar as atividades desempenhadas em um período específico. Isto é, ele realiza o gerenciamento das atividades desempenhadas por diferentes setores de um negócio, como: contas a pagar e a receber, compras, tarefas dos colaboradores, prazos cumpridos e perdidos etc.

4. Aferição ágil e remota de desempenhos

Um software de gestão possibilita analisar remotamente o desempenho de qualquer indicador. Assim, mesmo que o gestor esteja fora da empresa, em uma viagem, por exemplo, é possível checar as vendas de um período, o cumprimento de prazos e qualquer outra informação que ele julgue necessário acompanhar.

Essa funcionalidade é útil não apenas para o caso de ausência para um período de descanso, como também para reuniões fora da empresa. Afinal, basta logar de qualquer lugar para ter acesso às informações.

E aí, o texto te ajudou a se atualizar? O que você achou das novidades do mercado ótico? Promissoras? Para se informar um pouco mais sobre o assunto, leia nosso artigo sobre inovação para óticas. 


Comentários